Skip to main content
plano estratégico

Você sabe o que é plano estratégico e como ele afeta seu negócio?

Muitos administradores não se interessem em saber o que é plano estratégico, mas esse conceito é a chave para o sucesso de qualquer negócio.

De nada adianta possuir uma ideia inovadora, capital para investir ou até mesmo sorte, sem ter um bom planejamento, pois sua companhia deixará de alcançar todo seu potencial e poderá, ainda, fechar as portas!

Porém o assunto não é simples, trata-se de uma ferramenta que deve ser utilizada de forma inteligente. Para que ela seja concretizada, é preciso entender suas terminologias e conhecer as etapas a serem seguidas pelo administrador.

Diante da importância desse assunto, elaboramos este artigo que explica tudo o que você precisa saber sobre o assunto, redigimos objetivamente o conceito de plano estratégico, expomos qual a sua relevância e como arquitetá-lo.

Confira a seguir!

O que é plano estratégico?

Um planejamento é um processo que estabelece quais são as ações, coordenadas e orientações necessárias para o sucesso empresarial.

No estudo da administração, existem três tipos de planejamento: o primeiro é o operacional, cujo foco se encontra nas tarefas rotineiras e atividades de curto prazo; o segundo é o tático, que estabelece visões sobre as ações de negócios e departamentos, com foco em médio prazo.

Por fim, o terceiro é o planejamento estratégico, objeto deste artigo, que é aquele elaborado pelo mais alto nível de administração de uma organização, ou seja, os próprios proprietários. Ele é o mais complexo e impactante na empresa por conta de suas características, que incluem:

  • longo prazo: normalmente alcança um período de 5 a 10 anos;
  • busca visão ampla do negócio: suas ações consideram todos os departamentos da companhia;
  • objetivos gerais: plano visa metas a serem alcançadas dentro um horizonte a ser projetado, não de um setor ou venda específica;
  • simula cenários: projeta cenários pessimistas, realistas e otimistas sobre o futuro da empresa.

Esse processo analisa, de forma clara e transparente, as fraquezas, forças, valores, visões entre outros elementos da empresa, concedendo uma forma sólida a seus serviços e produtos.

A partir disso, ele projeta o caminho a ser percorrido, capacita o negócio para se adaptar a situações imprevisíveis e maximiza o potencial produtivo.

Alguns exemplos de metas do planejamento são definir a quantidade de lucro a ser auferida nos próximos 5 anos, ampliar de clientes, reduzir custo de produção entre outros.

Qual a sua importância para os negócios?

De acordo com uma pesquisa realizada pelo IBGE, mais de 60% das empresas encerram suas atividades após cinco anos de mercado, grande parte desse insucesso é decorrente pela falta da elaboração de um plano estratégico.

Sem uma orientação, prazos a cumprir e sólidas diretrizes sobre o futuro da companhia, os proprietários, administradores e colaboradores ficarão completamente perdidos, sem entender o que realmente devem buscar para que a empresa se desenvolva.

Além disso, o empreendedor se deparará com situações de difícil controle, que podem ser devido a fatores externos, como crises econômicas generalizadas, mudança no gosto dos clientes e até mesmo por eventos imprevisíveis.

A elaboração de um plano estratégico inclui a análise de cenário, fazendo com que seu negócio não entre em falência por essas situações, por isso é uma peça fundamental para garantir o futuro do empreendimento.

Quais são as etapas para criar um plano estratégico?

O planejamento possui um rito e, para que ele seja eficaz e com metas palpáveis, é imprescindível que suas etapas sejam seguidas à risca.

Caso contrário você não conseguirá aproveitar de todos os benefícios ofertados pela elaboração desse plano. Confira, a seguir, quais são essas etapas.

Missão, valores e visão

Aqui é definida a identidade organizacional, a partir dela a empresa adquire uma base sólida para as demais etapas. Cada um dos três termos possuem um papel diferente na etapa:

  • missão: propósito da organização, como transformar a economia local ou gerar autoridade para o negócio;
  • valores: são as atitudes tomadas — um exemplo é ter um bom relacionamento com os clientes;
  • visão: idealização da empresa, tem caráter ambicioso e a longo prazo — por exemplo, se tornar a maior rede do ramo no estado.

Diagnóstico estratégico

Esse tópico consiste em uma análise dos fatores internos e externos que influenciam o futuro da empresa, é essencial para que você tome as decisões mais benéficas.

O diagnóstico é feito pela matriz SWOT, essa é uma sigla inglesa que significa Strenghts (forças), Weakness (fraquezas), Opportunities (oportunidades) e Threats (ameaças). No português ela é conhecida como FOFA.

Esses fatores mapeiam a companhia de forma que você saiba exatamente o que pode ajudar ou prejudicar seu desenvolvimento. Veja os aspectos de cada um deles:

  • forças: características positivas e internas da empresa — por exemplo, funcionários capacitados;
  • oportunidades: eventos positivos e externos — podem beneficiar a empresa — concorrente deseja fazer fusão, por exemplo;
  • fraquezas: fatos negativos e também internos, como tecnologia ultrapassada;
  • ameaças: negativos e externos, como catástrofes naturais.

Objetivos e indicadores da empresa

Nesse estágio você traça os planos de ação que vinculam todas as atividades da organização. Diferentes da missão, os objetivos são resultados específicos, concretos que devem ser alcançados dentro um prazo previamente estipulado.

Para fins de exemplificação, você pode estipular o objetivo de ampliar as vendas em 20% dentro de um ano. Ao fazê-lo, utilize indicadores de desempenho para avaliar se as metodologias utilizadas estão fazendo a empresa atingir os objetivos ou não.

Alternativas estratégicas

Sempre é preciso ter um “plano B” caso a programação principal falhe. Nessa etapa são estabelecidas diversas medidas estratégicas que podem fazer com que os objetivos sejam completados.

Ao ser surpreendido com ameaças externas, você estará previamente preparado para lidar com a situação com assertividade e profissionalismo, garantindo o crescimento independente de qualquer cenário.

Implementação do plano

O planejamento estratégico será finalmente colocado em prática, e será por meio dos planos táticos e operacionais que o primeiro será implementado, pois eles dizem respeito às ações a serem tomadas pelos colaboradores.

Por isso, faz-se importante que os outros planos sejam detalhados, claros e alinhados ao estratégico, caso contrário as metas estabelecidas não serão cumpridas.

Controle dos resultados

O trabalho ainda não acabou. Após a implementação do plano, você deve estar sempre monitorando os acontecimentos internos e externos da companhia. Caso uma ameaça surja, você terá que colocar em ação as medidas alternativas.

Além disso, podem surgir novas fraquezas, oportunidades e forças, influenciando os resultados da empresa e fazendo surgir a necessidade de revisar sua estratégia.

Com a leitura deste artigo, você descobriu o que é plano estratégico, como arquitetá-lo, como aproveitar os seus benefícios e como acompanhá-lo.

Ao fazê-lo, sua companhia será capaz de se destacar perante os concorrentes e até mesmo se tornar líder do mercado.

Não existem desafios que não possam ser enfrentados pelo administrador! Confira aqui 5 dicas fundamentais de como ganhar espaço em um mercado saturado!