Skip to main content

Os Primeiros Passos Para Começar o Seu Negócio de Forma Segura, Sem Abandonar o Seu Emprego

Muitas pessoas têm medo de largar o emprego e começar um negócio. Afinal, com o emprego você tem aquela “renda garantida” todo mês. Mas ter o seu negócio, ser o seu próprio chefe, não precisar bater ponto e não ter que ficar prestando contas a ninguém é realmente tentador, não é mesmo?

Mas a maioria das pessoas que pensam em começar o seu negócio, têm família para sustentar e contas para pagar. Então, largar tudo e começar um negócio do zero, muitas vezes, acaba não sendo viável, afinal, quem garante que vá dar certo logo na primeira tentativa?

Portanto, nesse artigo eu vou dar algumas dicas para que você comece o seu negócio sem precisar largar o seu emprego atual.

Ryan Robinson, especialista em empreendedorismo, afirma que é possível manter o trabalho formal e também o seu próprio negócio.

O bom disso é que, se a empresa der errado, você ainda terá uma fonte de renda.

Mas, antes de tentar essa “jornada dupla”, o especialista recomenda que você analise bem a sua situação e veja se é possível conciliar as duas atividades. Dividir bem o seu tempo será essencial. Veja se é possível ser funcionário de dia e empreendedor à noite (ou vice-versa). Siga as dicas do especialista, publicadas originalmente no site da revista “Inc.“:

1 – Pergunte-se se empreender é realmente o que você quer

Ao conciliar trabalho com o próprio negócio, você terá que priorizar as duas atividades, em detrimento da sua vida pessoal. Não adianta se comprometer a enfrentar esse desafio duplo se sua cabeça estiver em outro lugar.

Robinson recomenda que, para tomar uma decisão, você escreva todas as atividades e compromissos da sua agenda semanal em um papel. Feito isso, veja se há alguma atividade mais importante para você que o sonho de empreender. Se houver, talvez seja melhor continuar somente como empregado.

2 – Domine os conhecimentos necessários

Quem administra uma empresa precisa ter conhecimento em várias áreas. Não é necessário ser um especialista nesses assuntos, mas é preciso ter noção suficiente para você mesmo não ser a razão do eventual fracasso do seu negócio.

Antes de abrir o próprio negócio, aprenda um pouco sobre administração e gestão de pessoas. Não é preciso fazer uma faculdade. Uma mescla de cursos de curta duração já pode ajudar bastante, de acordo com Robinson.

3 – Valide suas ideias

A inspiração para a abertura de uma empresa normalmente vem de uma ideia. Muitos empreendedores acreditam ter projetos revolucionários nas mãos. Só que, muitas vezes, a ideia em questão é ruim. Antes de abrir uma empresa, valide seu negócio: converse com especialistas em empreendedorismo e com seu público-alvo, e veja se as pessoas realmente comprariam o que você criou. Se sim, pode prosseguir. Do contrário, pense em outra coisa.

4 – Tenha algum diferencial

Para superar a concorrência, você deve ter algum diferencial. Basicamente, você tem duas opções: vender mais barato ou ter um produto melhor. Ao oferecer o mesmo que outras companhias, é mais difícil atrair e fidelizar seus clientes, segundo Robinson.

5 – “Terceirize” atividades

Você precisa de ajuda em sua empresa por duas razões: você não é um especialista e vai faltar tempo para dar conta de tudo. Por isso, tenha funcionários ou outras empresas que auxiliem na gestão do seu negócio. As áreas que serão “terceirizadas” devem ser escolhidas a partir do conhecimento do empreendedor e da quantidade de dinheiro em caixa.

6 – Procure feedback

Você deve saber o que está indo bem e o que deve ser corrigido na sua empresa. E, para isso, tem que ouvir seu cliente. Deixe um telefone, um endereço de e-mail e as redes sociais à disposição deles. Robinson afirma que todos os contatos devem ser respondidos.

7 – Divida as coisas

Robinson afirma que empreendedores que ainda têm um emprego não podem resolver assuntos do próprio negócio durante o expediente. Ao não se dedicar ao emprego e empreender no momento errado do dia, são maiores as chances de você ficar desempregado

8 – Saia do trabalho no momento certo

Se você decidiu conciliar emprego e empreendedorismo, supõe-se que sua prioridade é ter o próprio negócio. Espera-se, então, que você peça demissão em um determinado ponto.

Robinson diz que a dedicação exclusiva ao próprio negócio deve acontecer em dois casos: quando o empreendedor tiver confiança suficiente que sua empresa vai dar certo ou quando os ganhos do negócio forem suficientes para ser a única fonte de renda.

A partir da saída do emprego, é hora de crescer ainda mais com dedicação exclusiva.

9 – Não misture projetos pessoais e trabalho

Pode parecer tentador criar “uma versão melhor da empresa em que você trabalha atualmente”, mas ao menos que o seu empregador tenha perdido algumas lições ao longo do caminho, provavelmente o seu contrato estipula que você concordou em não fazer exatamente isso. Além disso, isso é uma prática ruim e pode (vai) destruir um monte de relacionamentos que poderiam ser úteis para você um dia.


Se você estiver em qualquer cláusulas de não concorrência, cláusulas de atribuição de invenção, ou de acordos de não divulgação, então é melhor consultar seu advogado para ajuda personalizada sobre este assunto.

Vale a pena ressaltar que você não deve utilizar recursos da empresa em que trabalha para criar a sua.

Isso inclui equipe de projeto, ferramentas online, notebooks, softwares, assinaturas e ajuda de outros funcionários.

10 – Defina metas detalhadas, mensuráveis e realistas.

Sem definir metas atingíveis e prazos realistas para si mesmo, você vai gastar muito tempo em vão no projeto. É difícil chegar a algum lugar se você não sabe exatamente para onde você está indo.

Robin diz que o que funciona melhor para ele é definir uma meta diária, semanal e mensal. Isso faz com que ele trabalhe melhor os objetivos a longo e a curto prazo.