Skip to main content

Escritório de Arquitetura Supera Vendas de 2017 em Apenas Três Meses

Especializada em reformas de apartamento, empresa paulista muda estratégia de captação de clientes pela internet, sem diminuir preço dos projetos, e fecha até maio com fila de espera.

POR: JANAÍNA QUITÉRIO | Repórter da Webliv


O arquiteto Júlio Beraldo é sempre o primeiro a chegar ao INÁ Arquitetura, no bairro dos Jardins, em São Paulo, onde é sócio junto com Marcos Mendes e Karen Evangelisti. Cheio de disposição, começa a jornada antes das 8 horas, rega as plantas do espaço recém-montado e não perde tempo para encarar os novos projetos de reforma de apartamentos  – a principal expertise da casa -, que já está com a agenda lotada até maio, como informa, em letras garrafais, o site institucional do escritório.

Mas nem sempre foi assim. A empresa, que completou sete anos de existência, sobreviveu a um prejuízo de 40 mil reais em 2016 e caminhava, no ano seguinte, para mais uma crise. “Não apenas o nosso negócio estava mal, como eu mesmo não estava bem de saúde”, compara. “Era normal eu chegar ao escritório perto das 11 horas, sem motivação. Além do sobrepeso, em 2017, eu tive uma depressão que me deixou três meses afastado do trabalho. Eu me sentia em débito com meus sócios”, confessa.

Júlio Beraldo combinou consigo próprio que era preciso reagir. No tempo que já tinha no mercado, o INÁ havia se tornado referência em captar clientes pela internet, a ponto de ter seus sócios constantemente convidados para dar entrevistas e palestras sobre marketing e construção de branding da sua marca, o que ajudava o escritório a aumentar a sua autoridade no segmento. “Começamos a investir na ferramenta do Google Adwords para atrair clientes desde a abertura do nosso negócio. Quando se instalou a crise financeira no país, em 2015, o custo da divulgação no Google ficou seis vezes mais caro, lamenta.

Mudança de mentalidade

Júlio Beraldo acreditou no aumento do faturamento e a sua motivação também triplicou

Beraldo conta que, apesar de o INÁ Arquitetura ter servido como case de sucesso no site do Google, a ferramenta do Adwords não estava levando o negócio a atingir patamares maiores. “Setenta por cento dos nossos clientes vêm do Adwords”, ele conta no vídeo, lançado no início de 2017. Na época, era comum os clientes que procuravam a empresa pedirem desconto no ticket, dentro de uma realidade na qual os concorrentes brigavam por preço.

Foi por isso que decidiu, no fim daquele mesmo ano, se inscrever na Imersão 8Ps, que reuniu em dezembro, na cidade paulistana, empresários de vários segmentos, dispostos a receberem treinamento e exercícios práticos focados nos oito passos de marketing digital, postulados por Conrado Adolpho, para alavancagem de pequenos e médios negócios. “A imersão havia acabado na madrugada do domingo para a segunda-feira, e eu fui direto para o escritório, sem nem mesmo dormir”, conta.

A primeira coisa que fez foi reunir os sócios, apesar de, no fim da imersão, Conrado Adolpho ter aconselhado os participantes a tomarem cuidado com a forma como chegariam às empresas na segunda-feira:

Seguinte, nós vamos ter que mudar para um espaço maior, contratar mais gente e triplicar o faturamento no próximo ano -, projetou aos sócios.

RESULTADOS: ticket maior, agenda lotada e arquitetos contratados

Em menos de um mês depois da Imersão de dezembro, no início de janeiro, Júlio Beraldo, convencido a implementar as estratégias que aprendeu nos três dias de encontro, recebeu carta branca dos sócios: alugou um espaço maior, de 120 metros quadrados, e ainda reformou inteiramente o site, apesar de, um dia antes do início da imersão, o INÁ ter ganhado o concurso “Prêmio Viva Decora Pro 2017” de melhor site de arquitetura. A taxa de conversão de clientes disparou.

“No ano passado inteiro, a gente fez oito projetos de reforma e, desde a imersão, já fechamos 12”, comemora. Mas não é só: “A equipe era de três arquitetos, agora somos oito e já estamos contratando mais dois. O crescimento foi exponencial”, relata em tom misto de surpresa e felicidade. Mas, para ele, a principal mudança foi de mentalidade: “Eu já cheguei a achar que essas mudanças podiam ser manipulação, que não dava para ser um vendedor, e não tem nada a ver. Se você tem um produto, basta acreditar e entregar”.

A animação voltou a tal ponto que Júlio Beraldo já perdeu nove quilos: “A minha rotina, a minha disposição, tudo mudou. A minha esposa já me disse que pretende escrever uma carta de agradecimento ao Conrado”, confessa, também agradecido.

O QUE MUDOU DEPOIS DA IMERSÃO 8Ps:

  • AUMENTO DE 20% DO TICKET
  • CLIENTES NÃO PEDEM DESCONTO
  • 60% DOS CLIENTES FECHAM NEGÓCIO. ANTES, A TAXA ERA DE 15-20%
  • OITO ARQUITETOS CONTRATADOS
  • ESCRITÓRIO TRÊS VEZES MAIOR
  • AGENDA LOTADA