Skip to main content
blog_8ps_thumb_2016_Como-melhorar-posicionamento-do-seu-site-em-5-passos_900x500_01

Melhore o Posicionamento do Seu Site Em Apenas 5 Passos

cta_8ps_livro_cta_pequeno_shortcode_01

Muito se fala em tráfego pago, em anúncios e em fontes de tráfego diferentes do Facebook. Em contrapartida, algumas pessoas esquecem do bom e velho tráfego orgânico. Alguns até dizem que tráfego orgânico não existe e que o SEO morreu. Será?

Ontem mesmo estávamos procurando por profissionais em Campinas, para ter uma noção de como andam os sites deles. Concluímos que existem sites que estão sem o mínimo necessário para funcionar. Achamos um site que não tinha contato (e ele estava anunciando).

É de extrema importância que você faça um trabalho de forma qualificada e que prepare o seu site para atrair mais leads/clientes de forma orgânica (através de navegadores).

Para isso, existem algumas técnicas que são fundamentais para ele ficar posicionado melhor no Google (não basta só isso porém, é um começo).

Ao longo desse artigo, lembre-se da frase do Mario Quintana:

“O segredo é não correr atrás das borboletas… É cuidar do jardim para que elas venham até você.”

Portanto, vamos preparar toda a base do seu site. Quando os seus leads/clientes chegarem, eles terão a melhor experiência possível com o seu conteúdo.

estrategia-de-conteudo

Produza um conteúdo memorável. Resolva qualquer que seja o Problema do seu Público.

A base para um bom conteúdo é resolver o problema que alguma pessoa tem. Existem as variações de artigo, como: estudos de caso e etc. Mas as pessoas vão ao Google procurar por algo que elas precisam (querem) descobrir.

Como por exemplo: como cuidar de um bebê de 2 meses, como engordar em uma semana, dicas para fazer monografia e etc.

A base para criar um conteúdo é justamente resolver problemas das pessoas e o porquê disso é bem simples: quando você ajuda a pessoa a resolver um problema, instantaneamente, você se torna uma referência para ela. A partir disso, ela fica mais propensa a tomar alguma atitude: compartilhar seu artigo, se cadastrar em sua lista, comprar seu produto/serviço, etc.

Após ter descoberto qual é o problema que o seu público tem, é a hora de ajudá-lo a resolver. E a “fórmula secreta” é justamente oferecer um conteúdo relevante.

Um pensamento errado que muitas pessoas têm a respeito do conteúdo é: se eu oferecer muito conteúdo, essa pessoa não vai comprar de mim. Essa é uma das maiores besteiras que você deve pensar.

Acompanhamos o trabalho de vários profissionais americanos, como Neil Patel e Ryan Deiss e eles simplesmente nos dão uma quantidade absurda de conteúdos semanais. Isso não nos faz perder a vontade de comprar o conteúdo deles. Na verdade nos faz ter mais vontade ainda, afinal, se o conteúdo gratuito é assim, imagine o conteúdo pago.

Portanto, a dica de ouro é: capriche muito no conteúdo, ofereça o que você tem de melhor. Se você não sabe exatamente criar conteúdo de qualidade, não tem problema. Existem ótimas referências para te ajudar a criar a estrutura do artigo. Aconselhamos o próprio Neil Patel, além do Henrique Carvalho, do Anderson Chipak, do Rafael Rez e do Vitor Peçanha (da Rock Content). Eles são referência no assunto de Marketing de Conteúdo (na nossa opinião).

dificuldades-do-meu-publico

Descubra as dores específicas do seu público para obter um melhor engajamento.

Quando falamos que temos “dificuldade para arrumar um emprego” embora seja uma dor única, existem variados aspectos que nos fazem não conseguir um emprego. Criar um artigo falando sobre algo genérico talvez não seja a melhor maneira de engajar com o seu público.

É interessante pesquisar quais são as causas reais dos problemas dessa pessoa. Uma ótima maneira de fazer isso é pesquisando justamente pela palavra-chave em que nós vamos basear o nosso conteúdo.

Então, se estamos escrevendo um artigo para ajudar as pessoas a arrumarem um emprego, elas provavelmente estão pesquisando por dicas para arrumar emprego, como arrumar emprego e suas variações. Correto?

Nós vamos pesquisar essas palavras-chave no Google e teremos através dele, uma lista com os 10 sites que melhor estão posicionados para esse termo. Nós vamos abrir um por um e vamos direto no campo de comentários dos sites.

Embora o artigo que o fulano do site escreveu seja de altíssima qualidade, ninguém melhor que o seu público para dizer exatamente quais são as dificuldades que ele sente. E o campo de comentários é o local onde ele expressa as suas dificuldades. Como, por exemplo, ter dificuldades para arrumar emprego por não possuir escolaridade.

Como você pode ajudá-lo? Dando dicas (úteis) que  ajudem a resolver esse problema, mostrando oportunidades de estudar de forma gratuita (bolsas de ensino em colégios técnicos, cursos a distância através da Internet e etc).

Com certeza, o seu conteúdo vai ficar muito mais eficiente quando estiver trabalhando exatamente a dor que o público tem.

A base do bom conteúdo é exatamente essa: ajudar as pessoas sem se importar em dar muito conteúdo , sem se importar com o número de palavras utilizadas, se você vai vender muito ou pouco . Transforme a vida das pessoas e o resultado virá. Ele sempre vem.

LEMBRE-SE: seu artigo tem apenas um objetivo. Esse objetivo pode ser: fazer com que a pessoa se inscreva em sua lista de e-mails (através de uma recompensa), que ela visite outra página do seu site, que ela compre alguma coisa, que ela faça um orçamento, etc. Nunca coloque mais de uma opção. Quanto mais claro e objetivo você for, melhor.

Faça chamadas para ação claras e objetivas. Por exemplo, uma chamada “receba gratuitamente 05 técnicas de marketing para fotógrafos” é muito melhor que uma chamada “clique aqui”. Saiba exatamente como chamar a atenção do seu público com algumas chamadas para ação (Calls to Action).

Agora que você entende exatamente que a base de criar conteúdo de qualidade é transformar vidas, vamos entender um pouco sobre como deixar a sua página otimizada para o Google e fazê-lo entender que você tem um conteúdo de qualidade para oferecer para as pessoas.

Breve Introdução ao Tráfego Orgânico

Quando fazemos uma busca no Google, nos deparamos com dois tipos de resultados: aqueles que aparecem no Google porque estão comprando uma palavra-chave (Tráfego Pago) e aqueles resultados que aparecem por tráfego orgânico (sem pagar, aqueles que utilizam as técnicas de SEO).

Clique na Imagem para Ampliar.
Clique na Imagem para Ampliar.

No exemplo acima, podemos ver os resultados da palavra-chave “Consultoria Marketing Digital”. Se você analisar essa palavra, poderá ver que ela é a que mais tem buscas mensais através do Google. Quando alguém precisa de uma ajuda, essa pessoa digita isso no Google. É a “fonte de ouro” para os consultores porém, é a palavra-chave mais difícil de ficar otimizada (devido ao grande número de concorrentes disputando pela mesma palavra).

O que você pode fazer é trabalhar em palavras-chave de cauda longa, também conhecidas por LongTail. Essas palavras são mais específicas, como por exemplo: Consultor de Marketing Digital em Campinas, Consultor de Marketing Digital em São Caetano do Sul.

Exemplo de LongTail: Comsultoria de Marketing Digital em Campinas
Exemplo de LongTail: Comsultoria de Marketing Digital em Campinas

Você pode ver na imagem que o resultado muda completamente apenas por acrescentar um campo extra na busca, a palavra “Campinas”. Essa é uma palavra de cauda longa.

Elas geralmente têm uma quantidade de busca menor porque não é um termo amplo porém, é uma palavra mais específica e, em alguns casos, podem ser palavras com mais probabilidade de compra.

Exemplo: a palavra-chave “grill george foreman funciona” é uma palavra de longtail de uma pessoa que tem uma probabilidade de compra maior. Ela já passou da fase onde ela queria saber mais sobre a empresa ou as características técnicas do produto. Ela quer saber se funciona e, provavelmente, (se corresponder às expectativas), vai comprar.

Pergunta: você prefere ser um peixe grande em uma lagoa pequena ou prefere ser um peixe pequeno em uma lagoa grande (cheia de peixes grandes)?

O trabalho para se manter no topo de algumas palavras-chave pode ser maior ou menor. Vai depender basicamente da sua concorrência e do trabalho que eles tem feito para ficar otimizado. Em alguns casos, é quase impossível ganhar de certos concorrentes.

Mas como havíamos comentado, era uma breve introdução. Caso você queira, podemos fazer um artigo um pouco mais específico sobre a base do SEO, como funciona e como aplicar de forma correta.

Vamos às dicas práticas para você aplicar e melhorar o seu posicionamento no Google nos próximos dias.

dicas-seo-on-page

Vamos “Cuidar do Jardim” e preparar o Terreno para os nossos futuros leitores

Por melhor que seja o seu conteúdo, se você não fizer algumas mudanças básicas e estratégicas em sua página, você sai perdendo em relação a um concorrente que sabe como fazer a lição de casa do SEO.

Para que você, que se esforça tanto no conteúdo, não ser prejudicado, veja agora algumas regrinhas básicas do SEO ON-Page (aquelas técnicas que dependem só de você) para deixar o seu conteúdo mais “visível” para o Google.

Uma ótima opção para te ajudar na questão do SEO, é usar o plugin (para WordPress): SEO by Yoast.

1ª Regra – O Título do seu Site:

Primeiro de tudo, você deve se concentrar no título do seu site. Isso mesmo, aquele nome que fica lá no topo do site (no navegador). Algumas pessoas deixam ele de forma aleatória ou em alguns casos, uma palavra que não tem nada a ver com o conteúdo do site ou a profissão.

O conselho é que você coloque algo para sua profissão. Por exemplo, sou um dentista e me localizo na cidade de Indaiatuba (interior de São Paulo). O nome da minha página será: “João da Silva, Dentista em Indaiatuba”. Fazendo isso, eu já me coloco à disposição sempre que alguém pesquisar por “João da Silva” ou “dentista em Indaiatuba” no Google.

2ª Regra: Configurando a sua URL

Não é preciso ter um domínio exato. Por exemplo, o site não precisa ser “dentistaemindaiatuba”. Gostamos muito dos domínios que tem o nome da pessoa, como por exemplo: “www.joaodasilva.com.br“. Na minha opinião, passa uma maior credibilidade.

Mas o “segredo” está na página que você fizer, por exemplo se estamos fazendo um artigo sobre consultoria de marketing digital para pequenas empresas, a página ficaria da seguinte forma: joaodasilva.com.br/consultoria-de-marketing-digital-para-pequenas-empresas. Concorda que fica feio?

Nesse caso, otimizamos o link. Ficando: joaodasilva.com.br/consultoria-marketing-digital. Sabemos que a palavra-chave é uma maneira que o meu público utiliza para buscar soluções. E nesse caso, queremos ser encontrado para ela. Poderíamos ser mais específicos e utilizar: /consultoria-digital-campinas e mostrar para o Google que damos prioridade para nossa cidade.

3ª Regra: Selecionando as Palavras-Chave

Cuidado com o uso das palavras-chave. É maravilhoso saber que se utilizarmos alguns termos específicos, nós mostraremos para o Google que estamos “aptos” para receber o público que pesquisa para aquele termo.

Porém, ficar abusando excessivamente disso pode ser muito prejudicial. Aliás, quase tudo na vida que fazemos em excesso é prejudicial. E sim, o Google pode ficar “furioso” e te punir. Nesse caso, você pode optar por termos variados.

Quando você utilizar o Planejador de Palavras-Chave do Google, veja alguns termos semelhantes que você pode utilizar no seu conteúdo. Outra maneira é utilizar um dicionário de sinônimos, por exemplo. Faça com que o seu artigo seja natural e fácil de ser lido, nada de criar algo parecido com isso:

“Olá, meu nome é João da Silva e eu sou um consultor de marketing digital. Na minha empresa, eu faço consultoria de marketing digital. Portanto, se você é uma empresa e precisa de ajuda, eu posso te oferecer uma consultoria de marketing digital em Campinas.”

Se você abrir uma revista ou site grande como o Portal Administradores ou o Portal da Exame, você vai ler notícias assim? Óbvio que não. Por que fazer isso no seu site também? Tenha bom senso.

4ª Regra: Selecione Imagens de Qualidade

Imagens ajudam muito na experiência do seu usuário e na do Google também. As pessoas gostam de ver imagens que ilustram o conteúdo, a leitura fica mais agradável e você pode colocar palavras-chave que vão mostrar para o Google que esse conteúdo tem valor.

Lembre-se de utilizar imagens de qualidade. Existem ótimos bancos de imagem para você comprar algumas que vão dar outra cara ao seu conteúdo. Mas caso você não esteja podendo adquirir imagens pagas, existem também algumas ótimas opções gratuitas.

MogueFile – http://www.morguefile.com/

Unsplash – https://unsplash.com/

StockVault – http://www.stockvault.net/

EveryStock – http://www.everystockphoto.com/

5º Regra: Utilize Referências Complementares

Complemente o seu conteúdo com mais conteúdo de qualidade. Óbvio que você não consegue fazer um artigo que fale sobre tudo que existe. Isso porque em alguns termos você não vai se aprofundar durante o seu conteúdo.

Nesse caso, é mais do que obrigatório que você coloque referências para as pessoas conhecerem sobre o que você está falando (caso elas queiram se aprofundar). Quando você cita um site, uma pessoa, uma empresa ou um aplicativo, é sempre importante para o leitor e também para o Google.

Se você olhar o Wikipedia, por exemplo, em todos os artigos publicados lá, existem outras diversas referências que fazem o conteúdo ficar mais completo.  Você pode (e deve) fazer isso no seu conteúdo também. Quanto mais valor oferecer para o seu público, melhor. E o Google gosta disso também.

Conclusão

Esse processo é o que nós utilizamos aqui no 8Ps.

“O conteúdo de qualidade não vai ajudar na otimização do seu site.” –  Quem diz isso não sabe o que fala, afinal, o Google é um robô e não lê o seu conteúdo.

Para os humanos que vão ler, faz toda a diferença. Dê o seu melhor e você será pago com divulgações nas redes sociais, indicações e, além disso, automaticamente virará uma referência na vida daquelas pessoas. Esperamos que essas dicas ajudem você em seu negócio.

E você, tem oferecido um conteúdo de qualidade ou ainda acha que quanto menos falar, melhor será?

cta_8ps_livro_cta_grande_shortcode_01

  • Muito bom Rafael

    Estou sempre em busca de informações como estas, que ajudam a melhorar o meu trabalho como produtor de conteúdo. E como mencionou, o google não é capaz de analisar o conteúdo, mas as pessoas são, e ai esta a grande sacada, quanto mais memorável o conteúdo melhor.

    Obrigado por compartilhar seus conhecimentos.

    Abraços

    • Oi Joelson,

      Isso mesmo. Não foque no Google, foque nas pessoas. Se preocupe em impactar as pessoas e o resultado virá. Ele sempre vem! 🙂

      Abração e sucesso!

  • Anderson Ferro

    Olá Rafael, tudo bem?

    Recebi um e-mail indicando seu artivo e este e-mail veio do do Fábio Umpierre (um grande amigo meu) e gostei muito das suas dicas sobre SEO e também do seu blog (já fiz minha inscrição em sua lista), parabéns pelo artigo e por compartilhar informações importantíssimas.

    Abs!
    Anderson Ferro

    http://blog.andersonferro.com.br
    http://www.FranquiaAutomatica.com

    • Oi Anderson,

      Que bom que gostou. Fico feliz que tenha se inscrito e em breve, vamos enviar ainda mais conteúdo de valor pra você.

      Abração!

      • Anderson Ferro

        Abs Rafael! Obrigado!

  • Adenor Mendes Sousa

    Excelente, é um conteúdo desse que enobrece nossa comunidade. Agregou muito valor. Parabéns!

    • Oi Adenor,

      Que bom que gostou do conteúdo. Semana que vem tem mais ein? Fica ligado aqui no Labs 🙂

  • Gostei muito das dicas, a linguagem usada está muito simples de entender, principalmente para as pessoas leigas no assunto. Abraços!

    • Oi Luzimar,

      Que bom que gostou. Fique ligado que na próxima semana tem conteúdo novo =)

  • Vinicios Ferreira

    Ótimo artigo Rafael. 🙂 com certeza irei referenciar esse post em meu blog.

    • Valeu pela presença e pelo comentário Vinicios! 🙂

  • Excelente artigo cara, meus parabéns!

  • Felipe Aron

    Grande Rafael, excelente artigo! Muito válida suas dicas. Vou colocar em prática no meu blog.

    • Oi Felipe,

      Muito obrigado. Quero ver os resultados depois, viu? 🙂

  • Vinny Scrouth

    Boa rafael, parabens pelo artigo!
    Só fiquei em duvida quanto a quarta regra. Sobre comprar boas imagens (ou pegar em site free).
    Pois, ouço muita gente falando, que conteudo duplicado te tira pontos no google rank. Essa regra realmente é válida para imagens tambem? Porque se eu compro uma imagem na shutterstock por exemplo, tenho certeza que centenas de sites ja podem ter comprado e publicado a mesma imagem em seus sites. E sabemos da inteligencia que o google já tem quanto a pesquisa de imagem.. hehe Valew!

    • Vinicius Afonso Santana

      @rafael_querido:disqus 🙂

      • Vinicius Afonso Santana

  • dani alba

    É importante estabelecer uma Estratégia, mas para que a Estratégia seja viável, precisa primeiramente entender de onde você está partindo, pois por exemplo querer atingir 2,000 visitas em um mês partindo do zero é meio utópico, certo? Então é importante começar analisando a situação atual do seu site, fazendo a análise de SERP: veja neste artigo como fazer esta análise de forma gratuita:
    http://www.notopo.com/blog/serp-analise-posicionamento-site/